Sobre veganismo e vegetarianismo - Rancho Orgânico

Blog

Sobre veganismo e vegetarianismo

É notável o crescimento do veganismo em vários países nos últimos anos. O mercado brasileiro também se rendeu aos milhões de veganos, com avanços importantes e demanda crescente, relatados por algumas empresas, com o aumento do faturamento em relação a esses produtos comparado aos anos anteriores.
Com inúmeras matérias de conscientização, as pessoas estão adquirindo uma maior consciência quando se trada da preocupação com os animais aliada com a sustentabilidade e com o meio ambiente.

Tipos de vegetarianos, entenda a diferença:

Ovolactovegetariano: É a pessoa que deixa de consumir todos os tipos de carnes (carne vermelha, branca e frutos do mar), porém consomem leite, derivados e ovos.

Lactovegetariano: Não consomem nenhum tipo de carne e também excluem os ovos da alimentação, porém consomem leite e derivados.

Ovovegetarianos: Não consomem nenhum tipo de carne e nem laticínios, porém consomem ovos.

Nos três grupos acima muitos também consomem mel, esse sendo excluído pelos vegetarianos estritos e veganos.

Vegetariano estrito: Não consomem carnes, ovos, leite e nenhum derivado de origem animal, esses excluem qualquer alimentação que possa ter causado sofrimento ou trabalho forçado a um animal.

Vegano: São pessoas que por motivos éticos buscam excluir todas as formas de exploração e de crueldade contra os animais, seja para a alimentação, vestuário (couro, lã, seda, etc…) ou para qualquer outra finalidade, como: produtos testados em animais, e também não frequentam locais onde animais são usados como entretenimento (circos, zoológicos, rodeios…).

Crudívoro e Frugívoro: os Frugívoros só se alimentam de frutos, já os Crudívoros se alimentam de alimentos crus, muitas vezes germinados, porém não são necessariamente veganos, sua motivação maior é a preocupação com a saúde. Esses dois grupos ainda são minoria entre os vegetarianos.

O mito da vitamina B12

Segundo a Dra. Vivian V. Vetrano, na verdade, a vitamina B12 vem de coenzimas que estão presentes em bactérias encontradas no corpo humano (dentro e ao redor da boca, por exemplo). Muitas vezes a deficiência é causada por um problema digestivo, a Dra. Vetrano indica que no caso de deficiência o corpo tem um problema para absorver os nutrientes dos alimentos. A deficiência existe, mas não é causada pela alimentação vegetariana estrita.

A verdade é que as pessoas não precisam comer carne ou outros produtos de origem animal para sobreviverem e prosperarem. A deficiência de vitamina B12 devido a uma alimentação vegetariana estrita é simplesmente uma mentira que deveria ser colocado de lado!

Segue o link com a matéria na íntegra: https://www.google.com.br/amp/s/saudenaturalperfeita.wordpress.com/2014/08/10/deficiencia-de-vitamina-b12-em-veganos-e-um-mito/amp/.

Vitamina D

A principal fonte dessa vitamina é a sua produção na pele a partir da exposição aos raios de sol, durante o mínimo de 15 minutos diariamente.

Em caso de deficiência, o médico ou nutricionista pode recomendar a suplementação que deve ser tomada de acordo com a orientação desses profissionais.

A deficiência de vitamina D é um problema comum e que não depende necessariamente da alimentação. Por isso, faça exames periódicos para verificar a sua taxa.

Benefícios de uma alimentação vegetariana:

Dentre os benefícios da alimentação vegetariana estrita está a redução de risco de diabetes tipo 2 e melhora no tratamento para aqueles que já apresentam a doença, estudos mostram que os vegetarianos estritos tendem a ter um índice de massa corporal menor do que os onívoros e um índice menor de obesidade e sobrepeso, pois melhora o controle da pressão arterial, o controle do peso, do colesterol e junto a uma redução do risco de diabetes ocorre uma redução de forma significativa de doenças cardiovasculares.

Estudos científicos em grandes populações mostram uma redução significativa de alguns tipos de câncer dentre os vegetarianos estritos.

Pessoas veganas tendem a ter uma consciência maior sobre os seus atos em relação ao impacto ambiental, esse sendo bem menor em relação à alimentação onívora.

“Segundo os dados da ONU, para 01 quilograma de carne bovina são requeridos de 5 a 10 quilogramas de alimentos vegetais, uma taxa de conversão alimentar muito desfavorável, representando um desperdício de área plantada e de alimentos vegetais que poderiam ser melhor utilizados (FAO-ONU, 2012).”

A seguir atletas veganos que quebram qualquer estereótipo: https://awebic.com/saude/atletas-veganos.

No decorrer da história encontramos grandes personalidades que seguiram uma alimentação vegetariana e/ou vegetariana estrita, como: Pitágoras, Buda, Platão, Lao-Tzu, Plutarco, entre outros.

Separamos um vídeo da querida Bela Gil explicando em poucas palavras as principais diferenças entre o vegetarianismo e o veganismo, confira:

Independente do seu estilo de alimentação – vegetariano, vegano ou carnívoro – a escolha por alimentos orgânicos é sempre a garantia de muito mais sabor e qualidade nutricional, sem oferecer nenhum tipo de risco à saúde!

Para obter mais informações sobre os estilos de alimentação mencionados acima recomendamos que procure por um especialista em nutrição capacitado para orientar na escolha mais adequada e saudável para você.

Fonte: www.eusemfronteiras.com.br

Compartilhe esse artigo

Endereço

Rua Santa Cruz, 557 - Bairro Alto - Piracicaba

Telefone

(19) 2532-0828

(19) 3432-7703

(19) 99670-7703

Email

contato@ranchoorganico.com.br