Coletor menstrual, tudo o que você quer saber! - Rancho Orgânico

Blog

Coletor menstrual, tudo o que você quer saber!

Você já deve ter ouvido falar sobre o coletor menstrual, talvez tenha alguma conhecida que já usa e adora e uma amiga de uma amiga que já experimentou e não se adaptou. São várias dúvidas acerca deste acessório feminino que veio para revolucionar a saúde da mulher. Isso mesmo, a questão aqui é a saúde!

Vem com a gente entender isso melhor!

O coletor menstrual é uma opção aos absorventes comuns pois é reutilizável, podendo durar até 10 anos. Ao contrário do absorvente interno, ele é inserido na entrada da vagina e não ao fundo do canal, e lá pode permanecer por até 12 horas sem trocas.

Fabricado em silicone medicinal hipoalergênico (não causa alergias), ele funciona literalmente como um copo. É inserido no canal vaginal, armazena o sangue,  depois é retirado, lavado e inserido novamente.

A principal diferença entre o coletor menstrual para os absorventes comuns é sua vida útil, ele dura em média 10 anos, enquanto um absorvente descartável leva cerca de 500 anos para se decompor no meio ambiente.

Vantagens e desvantagens do coletor menstrual

Falar sobre menstruação ainda é um tabu, e todo mundo sabe, mas o assunto tem entrado em pauta com cada vez mais frequência entre as brasileiras. Segundo a Inciclo, uma das primeiras marcas nacionais a fabricar o produto, o aumento surpreendeu até mesmo os gestores da empresa.

Nos últimos dois anos (2015-2016), a empresa cresceu mais de 3000% em vendas. Apesar de não revelarem quantas unidades foram vendidas, podemos analisar os campos em que esse aumento influenciou, como: macroeconomia, empoderamento feminino e o auxílio na sustentabilidade do planeta.

Conheça mais sobre as vantagens:

Economia pessoal

Um coletor menstrual custa em média 80 reais, muito superior à média de 5 reais dos absorventes externos e 12 reais dos internos.

Entretanto, o gasto se torna insignificante se levarmos em consideração a vida média de 10 anos do produto. Ou seja, em 10 anos seu gasto com absorventes externos será de aproximadamente 1.500 reais, e com o absorvente interno, de 2.400 reais, enquanto que com o coletor menstrual o gasto será significativamente melhor, correspondendo a 80 reais.

Agora que tudo está na ponta do lápis, é notável que o custo de um coletor é ínfimo se comparado ao dos absorventes comuns.

Sustentabilidade

Já passou da hora de pensarmos em como nossas ações atuais impactam as gerações futuras. Para quem deseja deixar o planeta um pouco melhor, o coletor menstrual pode ser o inicio para um fim dos danos à Terra.

Os absorventes externos comuns são feitos em sua maioria de celulose, polietileno, propileno, adesivos termoplásticos, papel siliconado, polímero superabsorvente e agentes controladores de odores. Todos estes materiais são derivados de árvores e petróleo.

Já os absorventes internos são compostos de algodão, seda artificial, poliéster, polietileno e polipropileno. Evidentemente, a composição varia de uma marca para outra, mas o foco aqui é como os materiais geram impacto ambiental. Seja no momento da fabricação ou na decomposição.

Um excelente exemplo de um material que antes mesmo de chegar ao absorvente já está fazendo mal ao planeta é o algodão. Ele requer muita água, pesticidas e fertilizantes no seu plantio.

Esses produtos químicos alteram a natureza do solo e causam danos que demoraram décadas para se recomporem.

Após a utilização, os absorventes são descartados. Esse descarte pode ocorrer via lixo ou esgoto. No esgoto, ele entope encanamentos e gera transtornos diversos. Porém, não é por ser descartado na lixeira que ele causará menos transtornos, pelo menos não para a mãe natureza.

Um absorvente descartado demora de 100 a 500 anos para se decompor. Isso acontece devido aos materiais sintéticos e produtos químicos que estão envolvidos na fabricação.

Enquanto isso, o coletor menstrual é reutilizável, por mais que seja necessário água na sua lavagem, não chega a ser nada abundante: é literalmente como lavar um copinho.

Menor risco de infecções bacterianas

Por ser utilizado dentro do canal vaginal, as bactérias que se proliferam na região íntima, por causa da umidade do sangue e o contato com toda a área púbica, são evitadas.

Sem cheiros desagradáveis

Não, menstruação não tem um odor desagradável! Pode ser difícil acreditar, mas o sangue que deixa o corpo não possui cheiro nenhum. O que ocorre para deixar aquele cheiro característico é o contato do ar.

O ar é o responsável por coagular o sangue, que é uma espécie de apodrecimento. No caso dos absorventes comuns, esse sangue passa muito tempo em contato com o ar quando, com o coletor, esse contato não ocorre.

Em resumo: o sangue que sai do seu útero não tem cheiro de mais nada a não ser sangue, semelhante quando você se fere em qualquer outro local.

Outras vantagens apresentadas são:

  • Maior capacidade de coleta do sangue;
  • Maior conforto ao dormir;
  • Menor risco de vazamentos;
  • Maior segurança na prática de esportes (incluindo natação).

Desvantagens:

As desvantagens relatadas com relação ao coletor menstrual estão relacionadas principalmente com o uso inadequado do produto. Elas são:

Aumento ou aparecimento de dores abdominais

Algumas mulheres relataram que, após iniciarem o uso do coletor menstrual, começaram a sentir um aumento significativo em suas cólicas. Isso pode ser ocasionado pelo posicionamento incorreto do coletor. Uma vez corrigido, tende a passar!

Desconforto

Não é incomum e muito menos raro que relatos de desconforto iniciais sejam feitos. Assim como qualquer outra nova experiência, é necessário que o corpo se acostume com sua nova realidade.

Sendo assim, conforme a mulher vai adquirindo prática ao inserir e retirar o coletor e sua musculatura vaginal, vai se acostumando e o desconforto inicial se esvai.

Vazamentos

O risco de vazamentos de um coletor menstrual em relação a um absorvente comum são muito menores, no entanto, ainda existe. Os vazamentos são ocasionados quando a mulher não insere o coletor corretamente ou quando ela não está utilizando o coletor do tamanho certo para seu canal vaginal.

Tamanhos de coletor menstrual

A escolha do tamanho é fundamental no processo de adaptação com o produto. Afinal, ele se trata de uma peça de uso íntimo, logo, não possui trocas após a abertura da embalagem.

Escolher o tamanho ideal além de impedir que haja vazamentos, torna o uso confortável.

No momento de escolher o tamanho do coletor menstrual, é necessário levar em consideração a faixa etária e também o histórico gestacional da mulher.

A sugestão de tamanho é feita baseada na tonicidade do assoalho pélvico (músculos, fáscias e ligamentos que sustentam os órgãos da cavidade pélvica) que, devido a idade e gestações, perde a sua elasticidade. Isso não é uma regra, afinal existem casos em que o organismo reage diferente com a idade ou com a gestação.

Confira o tamanho indicado para cada caso:

 

Ao contrário do que muita gente pensa, a quantidade do fluxo e porte físico da mulher não interferem na escolha do tamanho do coletor.

Como colocar o coletor menstrual?

Quando o assunto é coletor menstrual, a colocação é uma das maiores apreensões da mulheres. Estes são alguns passos que irão deixar o processo o mais simplificado possível. Confira:

Primeiro passo: Higienização

Certifique-se de que seu coletor está bem higienizado. Antes de utilizá-lo, o ideal é fervê-lo na água de 5 a 8 minutos. Antes de tocar novamente no coletor, lave bem as mãos, assim você não sofrerá o risco de contaminá-lo.

Caso não seja possível ferver a água para esterilizá-lo, existem outras opções, como: utilizar água oxigenada até 12%, água de cloro até 3%, pastilhas de limpeza das marcas Clor-in, Milton ou o hipoclorito de sódio.

Se por ventura utilizar alguma destas opções, é importante enxaguar o coletor com água limpa e corrente antes de introduzir o copinho no corpo. Assim, evita-se reações alérgicas, queimaduras ou assaduras.

Contudo, recomenda-se sempre utilizar as recomendações do fabricante, para evitar danos ao produto.

Segundo passo: Posição ideal

O segundo passo é a posição de inserção do coletor. Não existe uma regra que será aplicada para todas as mulheres, pois a posição ideal varia de acordo com a preferência de cada usuária.

Algumas das posições mais indicadas são a de cócoras, em pé (pés juntos e joelhos afastados), sentada ou com apenas uma das pernas levantada (comumente apoiada no vaso).

Terceiro passo: Dobra

Assim como para a posição de inserção, não existe maneira universal de dobrar o coletor. Existem diversas dobras que podem ser utilizadas para a inserção do coletor. Alguns coletores acompanham manuais de instruções que sugerem algumas das dobras mais comuns.

Na circunferência do coletor, existem pequenos furinhos que são responsáveis por realizarem o vácuo do produto. No momento de realizar a dobra é necessário começar sempre por eles.

Na imagem acima, podemos observar 3 das dobras mais comuns. A dobra em “C”, também chamada de “U”, em seguida a “Pushdown” e a “7”. Outras dobras também são:

  • Diamante;
  • Meio diamante;
  • S;
  • E;
  • Triângulo;
  • Tulipa;
  • Origami;
  • Labia fold.

O que não faltam são opções de dobras, basta testar e descobrir qual a melhor para cada mulher. Depois de escolhida a dobra, é necessário relaxar para a inserção do coletor.

Relaxar é fundamental, pois os músculos pélvicos precisam estar elásticos. O coletor deve ser inserido no canal vaginal em direção ao ânus. Isso é necessário, pois ao contrário do que muita gente pensa, o canal vagina não é vertical: ele é inclinado na direção do ânus.

Depois da inserção, o coletor se abre e se molda ao canal vaginal. Quando bem encaixado, ele forma um vácuo (certas vezes chega até a produzir um som do “ploc”).

Para certificar-se de que as dobras de desenrolaram-se rode suavemente o coletor, outra opção para a mesma finalidade é afastar a parede da vagina com um dedo e o indicador em toda a sua volta.

 

Como tirar o coletor menstrual?

Tirar o coletor menstrual pode se tornar um desafio para as usuárias de primeira viagem. Todo os coletores possuem um pequeno cabo, algumas mulheres erroneamente puxam o coletor por este cabo.

Esta não é a maneira ideal, pois o cabo serve para auxiliar, mas não deve ser responsável por toda a remoção, pois isso trará dor para a mulher.

A função do cabo é para as mulheres que possuem o colo do útero alto conseguirem alcançá-lo e depois fazer sua remoção. Uma prova que o cabo não serve para fazer a remoção é que diversas mulheres o cortam, pois possuem o colo do útero mais baixo e não sentem a dificuldades para alcançar o coletor.

Por estar inserido a vácuo no canal vaginal, ao ser puxado a força, a pressão negativa feita pelo coletor causará dor. A maneira correta de remover o coletor é eliminando primeiro o vácuo que existe:

  1. Faça força com a pélvis como se estivesse defecando. Ao fazer este movimento, o coletor abaixará alguns centímetros no canal vaginal. Mulheres com o colo do útero baixo poderão sentir a parte inferior do coletor;
  2. Com o polegar e o indicador, a mulher deve pinçar a parte baixa do coletor que, com o movimento, receberá ar, fazendo com que o vácuo seja eliminado;
  3. Mesmo sem o vácuo, ainda não é o momento de puxar o coletor, pois no tamanho ampliado (desdobrado) ele pode esbarrar na bexiga ou na uretra. Para evitar que isso ocorra, é necessário que, depois de pinçar e puxar levemente, a mulher aperte o meio do copinho. Assim, ele diminuirá de tamanho e não encostará na uretra ou na bexiga, o que por sua vez não lhe causará dor.

Para as mulheres com o colo do útero mais alto, se insere um dedo no canal vaginal, até encontrar o cabo do coletor. Depois desta etapa, repete-se o mesmo procedimento das mulheres com colo baixo.

Informando que é necessário usar o coletor pelo menos duas vezes antes de cortar o cabo, só assim será possível afirmar a altura do seu colo e o quanto do cabo será preciso cortar.

Em alguns casos, com mulheres de colo muito alto, recomenda-se ficar na posição de cócoras para a remoção do coletor, pois essa posição encurta o canal vaginal, fazendo com que se torne mais fácil encontrar o cabo do coletor.

Como higienizar o coletor menstrual?

Pode parecer a coisa mais desesperadora do mundo, mas na verdade é muito simples realizar a limpeza do coletor. Basta realizar estes 3 passos:

Passo 1

No momento de remoção, certifique-se que as suas mãos estão completamente limpas, afinal, nossas mãos entram em contatos com diversas bactérias ao longo do dia.

Passo 2

Muitas mulheres preferem fazer a remoção no banho, enquanto outras preferem fazer no vaso. Independente do local de escolha, é necessário descartar o sangue e logo em seguida lavar o coletor com água e sabão neutro. Enxague-o bem e reutilize. Repita está limpeza pelo menos 3 vezes ao dia.

Caso a troca precise ser feita em um banheiro público, o aconselhável é sempre estar com um coletor reserva. Se isso não for possível, limpe-o com papel higiênico ou lenços umedecidos e, quando chegar em casa, realize a limpeza corretamente.

Passo 3

Depois que o ciclo menstrual chegou ao fim, é necessário esterilizar seu coletor. Para isso, é recomendado ferve-lo durante 5 minutos. Não se pode usar panelas de alumínio, nem de teflon, pois elas soltam substâncias metálicas que podem danificar o silicone do coletor.

Algumas marcas, além de comercializar o coletor, vendem também uma panela especial, feita de ágata. A panela possui a superfície lisa, o que facilita a sua limpeza.

Depois de completamente limpo, guarde seu coletor em sua bolsinha própria. Lembre-se sempre de mante-lo em locais higienizados e livres de bactérias.

Como higienizar o coletor que caiu no vaso sanitário em 3 passos

No momento de retirada, não é raro que algumas mulheres derrubem seu coletor no vaso sanitário. Nesta situação, é comum que haja dúvidas de como proceder. Veja abaixo a maneira de higienizar corretamente seu coletor:

Primeiro passo: Coloque o coletor de molho em 1 litro de água, adicione uma colher de sopa de água sanitária e deixe agir de 15 a  20 minutos.

Segundo passo: Lave e seque as mãos. Retire o coletor do molho e o leve para outro recipiente limpo. Acrescente água oxigenada pura, de volume 10. O nível a ser é adicionado deve ser suficiente para cobrir o coletor. Deixe-o de molho por pelo menos 5 horas e no máximo 7 horas.

Terceiro passo: Depois das etapas acima, basta esterilizar o coletor com água fervente por 5 minutos. Caso seja possível, adicione também uma colher de chá de bicarbonato de sódio. Seque-o bem e guarde em ambiente limpo e arejado.

 

Como retirar manchas do coletor menstrual

Ao decorrer dos ciclos menstruais, é comum que apareçam algumas pequenas manchas no coletor. Para prevenir este acontecimento, pode-se utilizar uma colher de chá de bicarbonato de sódio a cada vez que for ferver o coletor.

Caso o coletor já contenha estas manchas, ou possua a aparência de encardido, basta mergulhá-lo na água oxigenada pura de 10 volumes, durante 6 a 8 horas. Lembre-se de sempre enxaguar com água limpa e corrente!

Possíveis complicações do coletor menstrual

O copo em si não traz nenhuma complicação para a mulher. O que pode ocorrer é que, pelo mau uso (incluindo má higienização e inserção), ele gere incômodos, vazamentos e até infecções. Conheça como isso pode ocorrer:

Incômodos

Durante uma má colocação, o coletor pode gerar atrito, o que acarreta em incômodo ou dores ao longo do dia.

Vazamentos

Uma inserção incorreta pode deixar espaço, o que ocasiona em um mal posicionamento do coletor, sendo assim ele pode se desafixar e deixar seu conteúdo vazar.

Por estar entrando em pauta somente nos últimos anos, o coletor menstrual ainda gera muitas dúvidas por onde passa. Conheça as perguntas mais frequentes sobre o tema.

 

Fonte e mais informações: https://minutosaudavel.com.br/coletor-menstrual/

 

Compartilhe esse artigo





Endereço

Rua Santa Cruz, 557 - Bairro Alto - Piracicaba

Telefone

(19) 2532-0828

(19) 3432-7703

(19) 99670-7703

Email

contato@ranchoorganico.com.br