Como cultivar uma boa imunidade? - Rancho Orgânico

Blog

Como cultivar uma boa imunidade?

Vivemos uma vida predominantemente agitada, cheia de compromissos, responsabilidades, onde estamos sempre correndo para dar conta das demandas e trabalhos que nos propomos a fazer. Essa rotina nos distancia cada vez mais da nossa natureza orgânica! Temos pouco ou restrito contato com a natureza, nossa rotina é construída conforme a agenda de afazeres e sobrecarregados com tanta coisa, pouco exercitamos e descansamos o corpo e a mente… e esse “estilo de vida moderno” faz com que coloquemos em verdadeiro risco no nosso bem mais valioso, nossa saúde!

Afinal, o que é imunidade?

Imunidade é a capacidade do organismo combater elementos que podem causar doenças (vírus, bactérias, micróbios, etc). Quando o sistema imune está funcionando abaixo do seu potencial, o corpo está sempre suscetível às mais variadas formas de contaminação e doenças. Ao mesmo tempo, quando o sistema imune está com sua função desequilibrada, ele pode atacar o próprio corpo, causando danos severos.

Agora, quando o seu sistema imunológico está fortalecido e com seu potencial ativo, dificilmente a pessoa será contaminada por qualquer doença ou contaminação, gozando de boa saúde!

Tudo começa com a nossa imunidade inata, que é aquela com a qual a pessoa nasce. É conhecida como a nossa primeira linha de defesa do organismo, é muito eficiente e possui mecanismos estratégicos que protegem o organismo e destroem os invasores, impedindo a contaminação.

Quando essa resposta inata não é suficiente, entra em ação a imunidade adaptativa, que é aquela aprendida pelo próprio organismo ao ser exposto a vários patógenos ao longo da vida. Sua resposta é um pouco mais lenta pois o nosso organismo precisa elaborar a ação mais propícia dependendo da necessidade. É essa imunidade que temos a oportunidade de, diariamente, fortalece-la através da alimentação e estilo de vida!

As verdadeiras ameaças ao nosso sistema imunológico:

1) Distúrbios do sono: A privação do sono diminui a quantidade e a função das células responsáveis pela imunidade, consequentemente a chance de contrair doenças infecciosas aumenta e as doenças crônicas podem aparecer com mais facilidade.

2) Má alimentação: A carência de nutrientes afeta o funcionamento das células. Dietas com alimentos processados, com alto teor de gordura saturada, sal e açúcar e pobres de cálcio, zinco e vitaminas prejudicam o sistema imunológico.

3) Consumo excessivo de álcool: O processo de metabolização sobrecarrega o organismo que, para retomar o funcionamento adequado, tem que trabalhar em dobro. Os mecanismos de defesa podem não suportar essa carga. O resultado é a queda da imunidade.

4) Estresse prolongado: Quando a situação de estresse não é passageira ou ocorre com frequência, o equilíbrio do corpo é prejudicado com a ação dos hormônios do estresse. Como resultado, os órgãos passam a agir de forma errada diminuindo a imunidade ou piorando as condições de saúde.

5) Excesso de exercício físico: A prática de exercício físico é benéfica e indicada! No entanto, exercícios extenuantes de longa duração também liberam hormônio do estresse – cortisol e adrenalina – que lesionam as células do sistema imune.

6) Excesso de medicamentos: Corticóides e imunossupressores são mais conhecidos por enfraquecer a imunidade justamente porque a função desses medicamentos é inibir os mecanismos de defesa do corpo, causando o alívio dos sintomas de alergias e doenças inflamatórias, entre outras. Em geral, o consumo excessivo de medicamentos afeta a homeostase do natural do nosso organismo.

Fatores decisivos para uma boa imunidade:

O intestino tem papel fundamental no desempenho do sistema imunológico – é o principal órgão na defesa da imunidade, com mais de metade das nossas células de defesa imune (linfócitos) que residem lá. Esses linfócitos ajudam a identificar os alimentos e as bactérias da flora intestinal e atacam qualquer coisa que seja estranha ao nosso corpo. Elas desencadeiam um procedimento de “advertência”. Às vezes, eles enviam avisos falsos, que podem ser desencadeados não por um ataque ao sistema imunológico, mas por uma intolerância ou uma alergia. Isso às vezes ocorre quando a flora está desequilibrada.

Vida longa à flora intestinal!

Nossa flora intestinal é composta de centenas de bilhões de bactérias de milhares de espécies diferentes, apenas 20% dos quais são bem conhecidas. Cada um de nós tem uma combinação única destas bactérias (é tão pessoal quanto uma impressão digital!). Quando a combinação é saudável e em suprimento adequado, ela nos defende melhor contra ataques. No entanto, a fadiga, a poluição, o estresse, a medicina e até mesmo o processo natural de envelhecimento pode servir para enfraquecer esta combinação da flora. Quando isso acontece, a capacidade do corpo de se defender torna-se mais fraca – nossas defesas são abaixadas.

Para ajudar a manter nossa imunidade natural e mantê-la em boa forma, podemos, naturalmente trabalhar para minimizar a presença e influência de estresse e fadiga em nossas vidas e devemos prestar mais atenção ao que comemos e bebemos e aumentar a nossa ingestão de bactérias benéficas, como as encontradas em alimentos fermentados, prebióticos e probióticos: picles, chucrute, iogurte, kimchi, kefir, kombucha, missô e uma série de outros alimentos.

Nutrientes mais relevantes para o sistema imunológico!

Pessoas mal nutridas são mais vulneráveis a infecções e doenças porque seu sistema imunológico não tem os recursos necessários (energia, aminoácidos, ácidos graxos, vitaminas e minerais) para funcionar adequadamente.

Corrigir as deficiências de nutrientes é um passo fundamental, e certamente o melhor caminho para isso é através da alimentação orgânica, fresca, sazonal, equilibrada e balanceada!

Cabe sempre dizer que os profissionais da nutrição são os mais aptos a ajudarem nesse processo e podem oferecer muitas informações, orientação e acompanhamento dos resultados. Dependendo de cada organismo e estilo de vida, pode ser necessário o uso de um multivitamínico de qualidade, com as formas corretas de cada nutriente e dosagens efetivas é uma ótima estratégia para facilitar a ingestão adequada de micronutrientes ao corpo.

Veja abaixo os mais importantes minerais, vitaminas e fitoquímicos que auxiliam no funcionamento saudável do sistema imunológico:

VITAMINA D: A vitamina D desempenha um papel-chave na regulação do equilíbrio do sistema imunológico. Pessoas com deficiência de vitamina D são mais propensas a ter gripes e resfriados. Baixos níveis de vitamina D estão associados a um risco aumentado e prevalência de infecções em múltiplos estudos. Otimize seus níveis de vitamina D obtendo luz solar suficiente ou através de suplementação de qualidade. Principal fonte: luz solar!

FRUTAS E VEGETAIS ESCUROS: O consumo regular de frutas e vegetais pode ser muito benéfico para o funcionamento do sistema imunológico. Sua ingestão regular leva à redução dos mediadores pró-inflamatórios e a um perfil intensificado das células imunológicas. Merecem destaques as frutas escuras (fortemente pigmentadas) e silvestres. Principais fontes: mirtilos, açaí, jaboticaba (com a casca), acerola, camu camu, limão, brócolis, couve, espinafre, rúcula, etc!

SELÊNIO: O selênio é um mineral essencial para o equilíbrio hormonal, sinalização redox de defesa antioxidante. Infecções virais quase sempre produzem um número maior de espécies reativas de oxigênio, então, a infecção viral aumenta a necessidade de certos micronutrientes, tais como o selênio, na defesa antioxidante. Principais fontes: castanha-do-pará e peixes!

VITAMINA C: A vitamina C é um antioxidante que nosso organismo não é capaz de produzir por si só, ou seja, precisamos obtê-la a partir da dieta ou suplementação. O corpo pode armazenar 300 a 2.000 mg de vitamina C, mas especialmente em épocas de doenças e infecções, as reservas são gastas rapidamente para necessidades prementes. Portanto, se você notar que está pegando um resfriado ou mesmo gripe, seria bom começar a tomar altas doses de vitamina C nas primeiras 24 horas dos primeiros sintomas. Principais fontes: laranja, limão, acerola e camu-camu!

GENGIBRE: O gengibre ajuda a diminuir a inflamação, tratar agentes infecciosos e proteger contra agentes estressores ambientais, tais como fumaça e substâncias químicas. Principal fonte: gengibre orgânico fresco ou em pó!

ZINCO: O zinco é importante para a produção hormonal e a imunidade. Também é conhecido por combater infecções. Baixos níveis de zinco podem causar problemas gastrointestinais e aumentar o risco de pneumonia. O uso regular de zinco também pode reduzir a incidência de gripe, de acordo com estudos. Principais fontes: castanhas, sementes e carnes!

CHÁS: O chá verde, o chá preto e os chás herbais apresentam propriedades medicinais, tais como polifenóis, que estimulam os sistemas de defesa antioxidante e combatem infecções. Chás de gengibre e cravo também são excelentes e reconhecidos pela medicina popular há milênios.

PRÓPOLIS VERDE: Dentre as variedades de própolis, a verde é a mais potente e recomendada, especialmente devido à presença da artepelina C e a bacarina, substâncias cujos estudos demonstraram benefícios ao organismo no combate e prevenção de doenças – especialmente as virais. Funciona melhor como prevenção do que como tratamento, e por isto a recomendação é de uso diário, mesmo que você esteja saudável.

MEL E PÓLEN DE ABELHA: O mel possui peptídeos antimicrobianos e propriedades medicinais (tais como flavonoides, polifenóis, vitaminas e minerais), que fortalecem o sistema imunológico. O pólen de abelha também é um modulador potente da função do sistema imunológico. O mel é um tratamento eficaz para a tosse causada por infecção do trato respiratório superior. Principal fonte: mel e pólen orgânicos!

ALHO: É um tempero versátil, rico em vitaminas A, C e antioxidantes, que favorece o fortalecimento do sistema imunológico e auxilia no combate às infecções. Descasque, pique e deixe o alho descansar por 15 minutos antes de utilizá-lo na comida, isso ajuda a melhorar sua biodisponibilidade em nosso organismo. Principal fonte: alho orgânico fresco ou em pó!

CÚRCUMA: A curcumina, o composto ativo da cúrcuma, possui propriedades anti-inflamatórias que podem ajudar a tratar a dor crônica e infecções. Também ajuda a estimular os níveis de glutationa no organismo. A curcumina e a cúrcuma também têm propriedades antibacterianas, antivirais e antifúngicas em humanos. Principal fonte: açafrão da terra fresco ou em pó!

O melhor remédio é sempre a prevenção… e o melhor jeito de prevenir qualquer doença ou desequilíbrio do organismo é através da alimentação orgânica! Os alimentos orgânicos são capazes de nos oferecer todos os nutrientes que necessitamos para manter a nossa saúde em perfeito estado. Investir na alimentação, orgânica e fresca, é investir na própria saúde e cultivar a própria natureza!

 

Texto inspirado no trabalho de Flávio Passos – Puravida.

Compartilhe esse artigo





Endereço

Rua Santa Cruz, 557 - Bairro Alto - Piracicaba

Telefone

(19) 2532-0828

(19) 3432-7703

(19) 99670-7703

Email

contato@ranchoorganico.com.br